fbpx
tratamento de cancer de pele sao paulo melanoma
  • 11

O câncer de melanoma tem origem nos melanócitos (células que produzem melanina, substância que determina a cor da pele) e são mais comuns em adultos. O melanoma pode aparecer em qualquer parte do corpo, na pele ou nas membranas mucosas como manchas, pintas ou pintas. Em pessoas de pele escura, é mais comum em áreas de cor clara, como palmas das mãos e solas dos pés.

Embora o câncer de pele seja o mais comum no Brasil, representando aproximadamente 30% de todas as neoplasias malignas registradas no país, o melanoma representa apenas 3% das neoplasias malignas de órgãos. É o tipo mais grave porque é provável que cause metástase (a disseminação do câncer para outros órgãos).

Se detectado em estágio inicial, o prognóstico para esse câncer pode ser considerado bom. Nos últimos anos, a taxa de sobrevida dos pacientes com melanoma melhorou muito, principalmente devido à detecção precoce do tumor e à introdução de novas drogas imunoterápicas.

Nota: As informações neste portal destinam-se a apoiar e não substituir o aconselhamento médico. Busque sempre avaliação pelos serviços de saúde.

ESTATÍSTICAS DO CÂNCER DE PELE

Novos casos estimados: 8.450, sendo que 4.200 são homens e 4.250 mulheres (2020 – INCA); e

Óbitos: 1.923, 1.120 homens, 803 mulheres (2020 – Atlas de Mortalidade por Câncer – SIM).

O QUE AUMENTA O RISCO DE DESENVOLVER CÂNCER DE PELE? 

  • Exposição prolongada e repetida à luz solar (UV-UV), principalmente na adolescência e na infância;
  • Acesso a bronzeamento artificial;
  • Ter pele e olhos claros, cabelos ruivos ou loiros ou ser albino;
  • Ter um histórico familiar ou pessoal de câncer de pele.

COMO PREVENIR OS MELANOMAS?

 Assim como outros tipos de câncer de pele, o melanoma pode ser prevenido evitando a exposição solar entre 10h e 16h, quando a luz é mais intensa, pois o maior fator de risco para o seu aparecimento é a sensibilidade ao sol.

Mesmo em outros momentos do dia, é aconselhável procurar sombra e usar proteção adequada, como roupas, chapéu ou chapéu de abas largas, óculos escuros com proteção UV, guarda-chuvas e barracas. Antes da exposição ao sol, aplique protetor solar com fator de proteção de pelo menos 15 na pele e use um protetor solar adequado para os lábios.

Para ajudar a prevenir e detectar o câncer de pele melanoma precocemente, confira as informações e o folder “Câncer de Pele: Vamos Falar Sobre Isso?”.

SINAIS E SINTOMAS DO CÂNCER DE PELE

O melanoma pode surgir da pele normal ou de lesões pigmentadas. As manifestações da doença na pele normal ocorrem após o aparecimento de manchas escuras com bordas irregulares acompanhadas de coceira e descamação.

No caso de lesões pigmentadas pré-existentes, as lesões aumentam de tamanho, cor e forma e passam a ter bordas irregulares.

DETECÇÃO PRECOCE

A detecção precoce do câncer é uma estratégia utilizada para detectar tumores em estágio inicial, proporcionando assim uma maior chance de sucesso no tratamento.

A detecção precoce pode ser por meio de exame clínico, laboratorial, endoscópico ou radiológico, investigação daqueles com sinais e sintomas sugestivos de doença (diagnóstico precoce) ou daqueles sem sinais ou sintomas (triagem), mas é mais provável que as populações sofram desta doença.

Não há evidências científicas de que os benefícios do rastreamento do câncer de pele melanoma superem os riscos, portanto, até o momento, não é recomendado.

O diagnóstico precoce desse tipo de câncer leva a melhores resultados no seu tratamento e deve ser buscado investigando sinais e sintomas, como o aparecimento de pintas pretas com margens irregulares com coceira e descamação ou alterações nas pintas existentes, que irão aumentar de tamanho, mudar sua cor e forma, e começar a mostrar bordas irregulares.

As regras adotadas internacionalmente são as regras “ABCDE”, que indicam sinais sugestivos de tumores cutâneos do tipo melanoma:

  • Assimetria: uma metade do sinal é diferente da outra metade;
  • Bordas irregulares: o contorno não é claro;
  • Cor variável: presença de múltiplas cores (preto, marrom, branco, vermelho ou azul) na mesma lesão;
  • Diâmetro: mais de 6 mm;
  • Evolução: São observadas mudanças em suas características (tamanho, forma ou cor).

Na maioria das vezes, essas alterações na pele não são causadas pelo câncer, mas são importantes para serem investigadas por um médico.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico geralmente é feito por um dermatologista através do exame clínico.

Em alguns casos, é necessário que os especialistas usem a dermatoscopia, um exame com um aparelho que consegue enxergar certas camadas da pele que são invisíveis a olho nu. Alguns casos requerem um teste invasivo chamado biópsia.

TRATAMENTO DO CÂNCER DE PELE EM SÃO PAULO

 A cirurgia é o mais indicado, pode ser utilizado também a cirurgia oncológica robótica como tratamento dessa doença.  Dependendo do estágio do câncer, a radioterapia e a quimioterapia também podem ser usadas. Quando ocorrem metástases (o câncer se espalhou para outros órgãos), o melanoma agora é tratado com novos medicamentos com altas taxas de sucesso. As estratégias de tratamento para a doença avançada devem ter como objetivo retardar a progressão da doença e fornecer aos pacientes com prognóstico anteriormente muito ruim uma chance maior de sobrevida. O Dr. Giovanni é especialista em tratamento de câncer em São Paulo.

    Cirurgia Oncológica em Curitiba